Trabalhar no Brasil

Horas, cultura e condições de trabalho

Se se candidatar à Carteira de Trabalho e Previdência Social e tiver um emprego legal no Brasil, irá encontrar as mesmas condições de trabalho que, provavelmente, está acostumado a ter no seu país de origem.

Trabalhar no Brasil

No Brasil, o máximo de horas de trabalho semanais permitidas, são normalmente entre 40 e 44 horas, isto depende se o trabalhador trabalha 5 ou 6 dias por semana.

A Lei de Trabalho brasileira estabelece um descanso anual de 30 dias, que devem ser tirados de uma só vez ou divididos em duas partes (uma parte deve ser de, pelo menos, 20 dias).

São elegíveis para um emprego a tempo inteiro os cidadãos com 14 anos de idade. Contudo, há certas leis que protegem adolescentes com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos.

Sindicatos de trabalho brasileiros

Existem milhares de sindicatos e organizações no Brasil que estão destinadas a apoiar os trabalhadores a tempo inteiro. A Central Única dos Trabalhadores fez da protecção dos trabalhadores e das políticas de saúde uma de suas principais prioridades. No entanto, como a maioria dos empregados no Brasil trabalham sem um contrato de trabalho oficial, eles não têm acesso ao apoio de um sindicato.

No Brasil, o máximo de horas de trabalho semanais permitidas, são normalmente entre 40 e 44 horas, isto depende se o trabalhador trabalha 5 ou 6 dias por semana.

A Lei de Trabalho brasileira estabelece um descanso anual de 30 dias, que devem ser tirados de uma só vez ou divididos em duas partes (uma parte deve ser de, pelo menos, 20 dias).

São elegíveis para um emprego a tempo inteiro os cidadãos com 14 anos de idade. Contudo, há certas leis que protegem adolescentes com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos.

Sindicatos de trabalho brasileiros

Existem milhares de sindicatos e organizações no Brasil que estão destinadas a apoiar os trabalhadores a tempo inteiro. A Central Única dos Trabalhadores fez da protecção dos trabalhadores e das políticas de saúde uma de suas principais prioridades. No entanto, como a maioria dos empregados no Brasil trabalham sem um contrato de trabalho oficial, eles não têm acesso ao apoio de um sindicato.

Considera este artigo útil?

Gostaria de fazer comentários, actualizações ou colocar questões? Escreva aqui: